LIL 2022.jpg

Said Ali e a gente na história da língua e da gramatização brasileira

Ana Cláudia Fernandes Ferreira - Unicamp

Michel Marques de Faria - Unicamp

 

Os autores analisam como a pronominalização do a gente comparece como uma questão elaborada e reelaborada em produções de Said Ali, mostrando como sujeito e língua vão sendo significados/divididos quando o autor reflete sobre o a gente, e como ele lida com o problema da indeterminação e da determinação do pronome. A partir disso, os autores se voltam para as condições históricas específicas do funcionamento pronominal do a gente no Brasil articuladas à produção de um saber sobre esse funcionamento, considerando as relações de dominação e resistência constitutivas da nossa história de colonização e de descolonização.